Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Bertelsmann cai

28.03.08
O gigante internacional Bertelsmann anunciou quebras importantes nas suas contas, em particular no outro lado do atlântico, na estrutura da Random House.

O resultado é aquele que já foi anunciado há alguns meses: pensam vender parte das estruturas de música (EMI), clubes do livro e editores de DVDs.

Não se espera que por cá afecte a Círculo de Leitores, excepto na disponibilização de fundos para aquisição de empresas em portugal.

Ver aqui.

Livrododia

27.03.08
A Livrododia é uma boa livraria. O Luis Cristóvão é um bom livreiro. O Luis é também poeta e é também editor na Livrododia (a marca assume as duas vertentes).

Por isso, não surpreende que por estes dias a livrododia ande na boca do mundo. Sendo gestor de uma livraria fora dos grandes centros urbanos (Torres Vedras), não alinhado em qualquer centro comercial, o seu responsável sempre apresentou essa realidade não como uma desvantagem, mas como uma oportunidade. E sempre teve um discurso de que com pouco consegue-se fazer muito.

Passando das palavras aos actos, o Luís Cristóvão implementou uma ideia muito simples, (acho que em linguagem de invejoso, isto diz-se de outra maneira: pouco original): compensar as emissões de CO2 decorrentes da actividade da editora, através da plantação de árvores na zona de... Torres Vedras.

E com isso chega ao Diário Digital, Rádio Renascença, Página de cultura da RTP, Público (não há ligação directa), ABC do ambiente, entre outros,....

Já agora... a compensação cifra-se nas 20 árvores. O que pelas minhas contas, excluindo o trabalho braçal, deverá dar qualquer coisa astronómica como.... 1/50 do valor de uma página de publicidade....

Livros eróticos (uma campanha FNAC)

27.03.08
Retirado daqui.
-----
Encontram-se abertas as inscrições para o novo Curso de Técnicas de Revisão, conduzido por Hélder Guégués. Mais informações aqui.

Em breve anunciaremos mais acções de formação da Booktailors, sendo que o muito solicitado curso de Produção e orçamentação gráfica arrancará em breve.

Entretanto, e respondendo aos comentários e e-mails, sugerindo que nos desloquemos a outras zonas do país para realização das acções de formação: a vontade ir ao Porto (ou Póvoa, ou Aveiro, ou Coimbra, ou Beja, ou Faro, ou ...) é muita. O problema é apenas um: não temos instalações em nenhuma destas zonas para poder realizar os cursos. Mas se souberem de alguma solução...

Polívros

27.03.08
Na América o mercado já se decidiu, durante os meses de Setembro e Outubro não haverá rentrée e todas as montras estarão ocupadas com o mercado editorial das eleições.
Muitos pesos pesados aproximam-se dos escaparates e a literatura dá lugar à política.

Será que o facto de isso não acontecer habitualmente em Portugal é sinal de evolução cultural ou atraso no mercado?

Acordo Ortográfico (Comendador Marques de Correia)

27.03.08
Na passada semana, o Comendador (na sua habitual última página da Única - 98) dirigiu-se a Pinto Ribeiro. Aqui ficam alguns excertos:


«Pessoalmente, fico feliz com a entrada em vigor do acordo. Não preciso do c do Actual nem do p do Óptimo nem do c de Direcção, nem do p de Baptista. Aliás, nem preciso do h de Henrique, nem os tipos querem que ele lá fique, sem se preocuparem com o acréscimo de custos de tinta que isso tem para os Henriques, Humbertos, Hugos, Homeros e outros prejudicados pela grafia antiga.

Quero, porém, alertar-te para outros acordos que falta fazer. Se vamos conseguir uma excelente unificação ortográfica com o Brasil, ainda estamos longe de fazer o mesmo com as empregadas domésticas, os taxistas, os senhores do talho, os donos de tascas, o Dr. Jorge Coelho e o Comendador Joe Berardo, embora este último possa ser, em bom rigor, proibido de pertencer à Comunidade de Países de Língua Portuguesa.


Por exemplo, quando o Dr. Jorge Coelho diz: «Os portugueses há-dem ver» há que pôr isto no acordo. Porque não é só o Dr. Coelho, são milhões de portugueses que dizem aquele há-dem sem pestanejar. Há que lhe dar a equivalência a hão-de.

(...)


Resta, depois, unificar a ortografica, com o Dr. Vasco Graça Moura. Vai demoar mais tempos, porque, segundo sei, o reputado poeta, deputado e escritor vai escrever como no tempo de Fernão Lopes só para chatear.»


Comendador Marques de Correia, revista única, 21.03.2008, p. 98.