Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Entrevistas Booktailors: João Ricardo Pedro

31.05.12

 

Entrou de rompante na literatura portuguesa e logo por uma das portas grandes, o prémio LeYa. João Ricardo Pedro é o autor de quem se fala e do qual os Portugueses parecem estar gostar, uma vez que o seu romance de estreia, O Teu Rosto Será o Último, já vai na 5.ª edição. Passos Coelho disse que o desemprego pode ser uma oportunidade: João Ricardo Pedro levou o conselho a sério e converteu um curso de Engenharia em páginas de literatura. E da boa.

 

É melhor ser engenheiro ou ser escritor?

Como diz o Álvaro, o binómio de Newton é tão belo como a Vénus de Milo. Nunca percebi bem o binómio e nunca encontrei grande encanto na Vénus, mas a frase do Álvaro é estupenda.

 

Passos Coelho estava a pensar em si quando disse que o desemprego é uma oportunidade? Acha que ele tem razão?

Imaginar o primeiro-ministro a pensar em mim deixa-me nervoso. Imaginar um milhão de portugueses fechados em casa a escreverem livros é digno de um Borges. E ainda dizem que esta nova geração de políticos não tem espessura.

 

É no próximo romance que vamos ter o retrato das ilusões perdidas da Revolução?

Ainda não faço grande ideia do que será o próximo romance. Como todo o cuidado é pouco, ando a evitar que as minhas personagens frequentem juventudes partidárias, administrações de grupos financeiros, certas lojas maçónicas, supermercados no Dia do Trabalhador, concertos da Céline Dion, festas organizadas pela Cinha Jardim, restaurantes em Canal Caveira.

 

O que é que lhe está a fazer mais confusão nesta mudança de vida?

Depois de ter visto quem vi na bancada do Estádio Nacional durante a Final da Taça de Portugal, já nada me faz confusão. E não estou a falar da Assunção Esteves.

 

Qual o seu foco principal quando estava a escrever o livro?

Tenho um problema congénito no sistema de focagem. Há mesmo quem diga que o grande problema do meu livro é a falta de pontaria.

 

O que lhe custou mais: encontrar a sua voz literária ou passar de mil para 200 páginas?

Encontrar, em mil, 200 que valessem a pena.

 

Sei que está a escrever um novo romance. Sente a pressão do prémio cada vez que se senta ao computador?

Da última vez que me pesei, a balança marcou 81 kg. O prémio é um Y vermelho com 450 g. De que lado é que está a pressão? É fazer as contas.

 

Tem pena de já não ir a tempo de limpar o prémio José Saramago?

Não faltam voluntários para esse tipo de trabalhos.

 

O que acha dos escritores da sua geração? Lê algum regularmente?

Acho-os bonitos. Há dois ou três mesmo muito bonitos. As minhas relações literárias são todas ocasionais e esporádicas.

 

Que pergunta não fizemos e deveríamos ter feito?

«O professor Cavaco Silva ganhou finalmente um lugar na História depois de ser referido no seu livro?»

 

Qual é o seu maior ódio de estimação?

A estima que eu tenho por todos os meus ódios impede-me de responder a essa pergunta.

 

O Acordo Ortográfico é um erro? Porquê?

Deve ser mais do que um erro. E quantos mais erros lhe apontam, mais me afeiçoo a ele. Mariquices.

 

Se pudesse fazer uma pergunta ao atual secretário de Estado da Cultura, qual seria?

«Dançou o tango em Buenos Aires?»

 

 

 

Nasceu em 1973, na Reboleira, Amadora. Curioso acerca da força de Lorentz, licenciou-se em Engenharia Eletrotécnica pelo Instituto Superior Técnico. Durante mais de uma década, trabalhou em telecomunicações, sem, no entanto, alguma vez ter aplicado as admiráveis equações de Maxwell. Na primavera de 2009, em consequência do caráter caprichoso dos mercados, achou-se com mais tempo do que aquele de que necessitava para cumprir as obrigações do quotidiano. Num acesso de pragmatismo, começou a escrever. O Teu Rosto Será o Último, romance de estreia, ganhou o prémio LeYa 2011.

-

Campanha «Formai-vos!»: desconto de 50% para desempregados e recém-licenciados. Novidades 2012: [Lisboa] Marketing do Livro [Porto] Revisão de Texto - nível inicial; Comunicação EditorialMarketing do Livro.

LER no Chiado homenageia Vergílio Ferreira

30.05.12

 

Em junho, a iniciativa LER no Chiado, a realizar-se no dia 1 de junho, pelas 18.30, será dedicada a Vergílio Ferreira. Participarão no debate, moderado por Anabela Mota Ribeiro, Hélder Godinho, coordenador do grupo que trabalha o espólio de Vergílio Ferreira, Virgílio Kasprzykowski, psiquiatra e filho do autor, e Paulo Ferreira, consultor editorial da Booktailors, escritor e leitor apaixonado da obra de Vergílio.

Hoje, Acordo Ortográfico em debate no Porto

30.05.12

 

Realiza-se hoje, pelas 18.30, no Hotel Infante de Sagres, a tertúlia «O novo Acordo Ortográfico, Ensino e Cultura». Os oradores incluem Vasco Graça Moura, poeta, ficcionista, dramaturgo, cronista, ensaísta e tradutor de clássicos, líder do Movimento contra o Acordo Ortográfico e presidente do Conselho Administrativo do Centro Cultural de Belém; Rui Estrada, professor catedrático da Universidade Fernando Pessoa e investigador do CITCEM (Faculdade de Letras do Porto), defensor do Acordo; e Mário Pinto, professor da UFP e investigador do CLEPUL (Polo da UFP), especialista em Educação para os Media e crítico do Acordo. A iniciativa é organizada pelo semanário Grande Porto e pelo Hotel Infante de Sagres.