Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Amazon revela os livros mais vendidos no Kindle nos últimos 5 anos

05.08.15

 

A Amazon revelou a lista dos 10 títulos mais vendidos desde a fundação da Kindle Store como forma de celebrar os 5 anos do serviço.

 

A autora E. L. James arrecadou o 1.º lugar com As Cinquenta Sombras de Grey. Os restantes livros da trilogia, As Cinquenta Sombras Mais Negras e As Cinquenta Sombras Livre, arrecadaram o 2.º e o 4.º lugares, respetivamente.

 

Os livros que que foram recentemente adaptados para cinema dominam a lista: Em Parte Incerta, de Gillian Flynn, em 3.º lugar; O Centenário Que Fugiu Pela Janela e Desapareceu, de Jonas Jonasson, em 5.º; e A Vida de Pi, de Yann Martel, em 6.º.

 

Os Homens Que Odeiam as Muheres, de Stieg Larsson, Watch Over Me, de Daniela Sacerdoti, 12 Anos Escravo, de Solomon Northup, e Quinta-feira no Parque, de Hilary Boyd, completam a lista, para conhecer aqui.

Morreu Ana Hatherly

05.08.15

 

«A escritora e artista plástica Ana Hatherly, um dos nomes da vanguarda da poesia experimental, morreu hoje aos 86 anos num hospital em Lisboa, disse à agência Lusa fonte da Fundação Calouste Gulbenkian.» Ler no Diário Digital.

 

«Em 1958, com Um Ritmo Perdido iniciou a sua carreira literária, começando no ano seguinte as suas pesquisas no âmbito da poesia concreta e experimental. Em 1969 fez na Galeria Quadrante a exposição que marcou o início do seu percurso nas artes plásticas. Desde então, a escrita, o acto de escrever e as possibilidades visuais da palavra e da caligrafia estiveram ao centro da sua obra.» Ler no Público

 

«O espólio da autora está à guarda da Biblioteca Nacional, no Arquivo de Cultura Portuguesa Contemporânea, e parte da biblioteca pessoal está na Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian. Nas artes visuais, tem obra presente em várias coleções, nomeadamente na Fundação Calouste Gulbenkian e no Museu de Arte Contemporânea de Serralves.» Ler no Observador.

J. K. Rowling torna-se a primeira escritora multimilionária

05.08.15

 

O jornal Sunday Times revelou que, em 2014, o património de J. K. Rowling atingiu os mil milhões de dólares, tornando-a assim a primeira autora multimilionária. O responsável foi o estrondoso êxito da saga Harry Potter, e não promete abrandar nos próximos tempos: no horizonte estão 3 novos filmes inspirados na série, uma peça de teatro, um novo parque temático em Hollywood e novas edições ilustradas dos 7 volumes da história do feiticeiro. Leia mais aqui.

Leitores japoneses são os que mais gastam em livros digitais

05.08.15

 

Um estudo levado a cabo pela Statista revelou que os leitores japoneses gastam, em média, 86,5 dólares por ano em livros digitais. A contribuir para estes números está o manga, banda desenhada japonesa, que, ao contrário do mercado ocidental, é considerado estatisticamente com os restantes e-books. De imensa popularidade (um campeão de vendas atinge facilmente os 11 milhões de livros vendidos), o manga é um formato propício ao digital quer pela idade média dos seus leitores, quer pela imensa quantidade de títulos que tornam a portabilidade dos leitores digitais aliciante.

 

Os leitores britânicos arrecadaram o segundo lugar (com uma média de 84,4 dólares por leitor), seguidos de França, Alemanha, EUA, Espanha, Itália, Rússia, Brasil e China. Os pormenores, aqui.

Paris de luto pelo encerramento da livraria La Hune

04.08.15

 

Uma das livrarias mais famosas de Paris, a La Hune, fechou portas recentemente, reacendendo o debate entre a população parisiense sobre a descaracterização do bairro de Saint-Germain-des-Près. As grandes marcas de roupa estão a ocupar o bairro e a espantar a aura intelectual e literária que marcou esta zona de Paris. Esta era já a segunda morada da La Hune, que, há 3 anos, cedeu a sua antiga morada a uma loja da Louis Vuitton. A livraria, frequentada por nomes  como Albert Camus, Simone de Beauvoir ou Pablo Picasso, vem engrossar os números de livrarias encerradas na capital francesa, que, entre 2011 e 2014, perdeu 83 livrarias. Leia mais aqui.

Esconder o género, vender mais

04.08.15

 

São várias as histórias de escritoras que se serviram de pseudónimos para esconder o seu género, com medo de que serem mulheres diminuísse a relevância e qualidade das suas obras. Atualmente, a tendência inverteu-se, e são cada vez mais os autores de êxitos de vendas que escondem o seu género para apelar ao público feminino. O retrato do Guardian para ler aqui.

Uma fórmula matemática para desvendar os mistérios de Agatha Christie

04.08.15

Capturar.PNG

 

Foram vários os académicos que se reuniram para tentar encontrar uma fórmula que permita desvendar os mistérios de Agatha Christie antes do capítulo final. Para isso, analisaram 27 obras da autora descobrindo padrões que ajudam a chegar à identidade do assassino. Por exemplo, se a vítima morreu por estrangulamento, a probabilidade de o assassino ser do sexo masculino é elevada. Por outro lado, caso o mistério se passe numa casa de campo, há 75 % de hipóteses de o assassino ser uma mulher. O mistério desvendado para ler, aqui.