Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Comunicado APEL - sobre a fusão das duas associações

04.08.09
«Direcção demite-se para viabilizar recomposição dos Órgãos Sociais.

Na sequência do processo de convergência de editores e livreiros numa só associação, noticiado há poucos dias, a Direcção da APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros vai apresentar a demissão ao presidente da Mesa da Assembleia Geral, Paulo Teixeira Pinto, com o objectivo de criar as condições para a convocação e realização de uma Assembleia Geral Eleitoral, que se prevê tenha lugar no fim do próximo mês de Setembro.

Esta decisão foi tomada na reunião da Direcção, realizada hoje, 4 de Agosto, na qual os membros se congratularam com os progressos alcançados no movimento associativo.

A formalização deste entendimento por via da filiação na APEL de actuais associados da UEP, nomeadamente o Grupo Leya, abre caminho a uma nova era no sector editorial e livreiro, criando condições para que os desafios de modernidade e competitividade que se colocam num mundo globalizado e em mudança acelerada, sejam enfrentados com a dinâmica e a capacidade de inovação que se impõem.

Este momento constitui o corolário do trabalho desenvolvido pela Direcção ao longo de um mandato que se iniciou em Julho de 2008 e que deu prioridade à valorização institucional, à organização interna e à concretização de projectos fundamentais para afirmação do sector do livro com realce para a organização da «Semana dos Livreiros» e a modernização das «Feiras do Livro de Lisboa e Porto».

Ao mesmo tempo, e como se podia ler no Manifesto de Candidatura da actual Direcção da APEL, era objectivo “diligenciar no sentido de se alcançar a articulação e harmonização do movimento associativo, com espírito de consenso, postura assertiva e respeito mútuo, procurando um modelo organizativo que, salvaguardando o património comum de editores e livreiros, permita encontrar soluções de trabalho comuns, flexíveis, eficazes e duradouras”.

É este cenário que agora se avizinha e que, na perspectiva de todos os envolvidos neste processo de convergência, melhor serve os interesses de editores, livreiros e restantes profissionais do livro.»

Ler no Público.