Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

País tema: Itália (II)

10.10.08
Em termos de valor, a indústria editorial italiana facturou no ano transacto cerca de 3670 milhões de euros, mantendo a tendência de crescimento dos anos anteriores (cerca de 0,6%).

De destacar que estes valores contabilizam tudo, sendo que: o mercado de edição comercial representa cerca de 1337 milhões de euros; o mercado escolar cerca de 730 milhões de euros; clubes do livro, exportação e outros canais com cerca de 625 milhões; e 936 milhões para outros mercados, como o livro electrónico, o livro usado, a venda especial, etc.

A produção anual é de cerca de 59 000 títulos distintos (mais 13% de aumento), 61,1% deles novidades. Em termos de produção real, ascende aos 261 milhões de exemplares por ano.

Em termos de canais, o retalho livreiro é ainda o principal, representando cerca de 77% das vendas. A grande distribuição (hipermercados, grandes armazéns e centros comerciais) representa cerca de 18% do mercado, mantendo uma tendência de subida acelerada.

A Internet representa cerca de 4% das vendas de livros, estando a crescer rapidamente e a assumir uma posição de relevo nos canais de comercialização.

De realçar o crescimento constante do mercado associado aos museus, com cerca de 15% de aumento anual, representado cerca de 1,7% das vendas totais.

Para quem pensa que este é um povo que lê, desengane-se, com cerca de metade da população italiana com mais de 6 anos a declarar não ter lido nada durante o ano.

Em termos de género, 48,9% são mulheres, face a 37% de homens (não nos perguntem sobre os 14,1% restantes, pois não sabemos).

Entre os mais jovens, os graus de penetração da leitura são mais reduzidos, não augurando nada de bom para o futuro.

Existe também uma diferença clara entre os leitores de acordo com a região, onde o Norte da Itália fica claramente à frente face ao Sul.

De realçar o crescimento dos conteúdos de origem nacional e a redução da dependência dos conteúdos importados (22,2%). Obviamente que a grande maioria dessas traduções são do inglês (54,5%).

A exportação do livro italiano não é nada de realçar, apresentando valores na ordem dos 40 milhões de euros.