Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

José Saramago (1922-2010): Reacções [em actualização]

18.06.10
«O Presidente da República, Cavaco Silva, recordou hoje José Saramago como um “escritor de projecção mundial”, sublinhando que o Nobel português “será sempre uma figura de referência” da cultura nacional.» Ler no Público e no jornal i.

«O primeiro-ministro considerou hoje que José Saramago foi “um dos grandes vultos” da cultura, dizendo que o país se “orgulha” da sua obra literária e que a sua morte constitui uma perda para a cultura nacional.» Ler no Público e jornal i.

«José Saramago "deixa um legado poderosíssimo do escritor" que foi "a afirmação da literatura portuguesa na cena internacional como provavelmente antes dele nunca tinha sido conseguido", disse hoje a ministra da Cultura Gabriela Canavilhas.» Ler no Público e no jornal i.

«O ministro dos Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão, disse hoje que a morte de José Saramago "representa uma perda para a cultura portuguesa".» Ler no Público.

«O presidente do PSD, Pedro Passos Coelho, referiu hoje que recebeu a notícia da morte de José Saramago com “profunda consternação”, destacando a “obra literária intemporal” do escritor e Nobel português.» Ler no Público.

«O CDS-PP assinalou hoje as suas discordâncias “ideológicas” com o escritor José Saramago, considerando, contudo, que o prémio Nobel “contribuiu decisivamente” para “dignificar” e “divulgar” a língua portuguesa por todo o mundo.» Ler no Público e no jornal i.

«O líder parlamentar do Bloco de Esquerda, José Manuel Pureza, lembrou hoje José Saramago como “um escritor sempre insubmisso” no estilo e nas causas que defendeu e um homem que “combateu a cegueira social”.» Ler no Público e no jornal i.

«José Saramago morreu hoje aos 87 anos e as reacções à morte do escritor têm chegado de vários nomes do mundo da cultura nacional e internacional.» Ler no Público.

«O fadista Carlos de Carmo, que deu voz a poemas de José Saramago, hoje falecido, afirmou que se sente “profundamente consternado”.» Ler no jornal i.

«"O que mais admirava em Saramago era a sua vitalidade e a sua combatividade de homem que acreditava em causas", declarou à Lusa o escritor angolano José Eduardo Agualusa. Ler no jornal i.

«A Câmara da Golegã, onde nasceu José Saramago, colocou hoje a bandeira municipal a meia haste para lamentar a morte do escritor, um “génio literário” considerado “um dos mais ilustres filhos do concelho”.» Ler no jornal i e no Público.

«O actor e encenador Diogo Infante lamentou hoje a morte de José Saramago, que recebeu com “tristeza”, por considerar o escritor “um símbolo de identidade nacional”, independentemente de se gostar ou não da sua obra.» Ler no jornal i.

«A professora universitária Ana Paula Arnaut, especializada na obra de José Saramago, disse hoje à agência Lusa que a morte do escritor traduz “uma grande perda para a literatura portuguesa”.» Ler no jornal i.

«O escritor José Saramago “era um homem controverso, como todas as grandes personalidades, mas cultivava uma proximidade discreta e secreta com Portugal”, afirmou hoje o ex-ministro Manuel Maria Carrilho à Agência Lusa em Paris.» Ler no jornal i.

«A morte de José Saramago é "um momento de grande pesar e de grande perda para a literatura e a cultura portuguesa", considerou hoje, em declarações à agência Lusa, o escritor José Luís Peixoto.» Ler no Diário de Notícias.

«A ex-ministra da Cultura Isabel Pires de Lima considera José Saramago, hoje falecido, "um escritor marcante da segunda metade do século 20", com "um lugar muito particular na literatura portuguesa".» Ler no Diário de Notícias.

«A escritora Lídia Jorge lamentou hoje, com grande comoção, a morte de José Saramago, definindo-o como "um escritor genial" e também "um exemplo de coragem, pela sua coerência".» Ler no Diário de Notícias.

«O reitor da Universidade Aberta, Carlos Reis, lamentou hoje a morte de José Saramago que, "embora esperada", foi um "choque", já que, além de "leitor e grande admirador" do Nobel da Literatura, era também seu amigo.» Ler no Diário de Notícias.

«O escritor Mário Cláudio afirmou hoje que José Saramago é "uma figura indiscutivelmente maior das nossas letras", considerando "triste e inesperada" a sua morte.» Ler no Diário de Notícias.

«O presidente da Associação Portuguesa de Escritores, José Manuel Mendes, referindo-se ao falecimento hoje, em Lanzarote, de José Saramago, 87 anos, afirmou que se perdeu "uma referência luminosa".» Ler no Diário de Notícias.

«O editor e amigo de longa data de José Saramago, Zeferino Coelho falou em instantes com a SIC e considerou Saramago deixava um legado, um 'monumento': "Saramago deixa esse monumento como o Eça ou o Garrett", sustentou.» Ler no Correio da Manhã e no jornal i.

«O secretário geral do PCP, Jerónimo de Sousa, manifestou hoje “profundo pesar e enorme mágoa” pela morte de José Saramago, militante comunista desde 1969, e considerou que o escritor “merece a homenagem” do luto nacional.» Ler no jornal i e no Público.

«O seleccionador português de futebol, Carlos Queiroz, considerou hoje que José Saramago foi um exemplo de juventude e irreverência, sobretudo nos últimos anos de vida.» Ler no Diário de Notícias e no Público.

«A Academia Brasileira de Letras está "enlutada" por causa da morte de José Saramago, disse hoje à Lusa o presidente da ABL, Marcos Vilaça.» Ler no Diário Digital.

«A ministra da Cultura espanhola lamentou hoje profundamente a morte do escritor José Saramago, um homem que “queria muito a Espanha, com uma alma muito portuguesa”.» Ler no jornal i.

«O candidato a Presidente da República Manuel Alegre considerou hoje que o escritor José Saramago será “uma referência universal da grandeza e do desassombro”, definindo-o como um cidadão e homem “da mais rara dignidade”.» Ler no jornal i e no Público.

«O presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, lamentou hoje, em Bruxelas, a morte de José Saramago, que considera um dos maiores escritores da literatura mundial.» Ler no jornal i e no Público.

«O candidato à Presidência da República Fernando Nobre lamentou hoje a morte de José Saramago, que considerou “um homem e um intelectual de convicções que honrou Portugal e o mundo”.» Ler no Público.

«O Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura (SNPC), da Igreja Católica, divulgou esta tarde um comunicado no qual manifesta “o seu pesar na morte de José Saramago, grande criador da língua portuguesa e expoente da nossa cultura”.» Ler no Público.

«Os reis de Espanha lamentaram hoje a morte do escritor e prémio Nobel José Saramago. Em telegrama enviado a Pîlar del Rio, mulher de Saramago, cujo teor foi divulgado por fontes da Casa Real, os monarcas expressam o seu pesar pelo falecimento de “este extraordinário escritor profundamento vinculado a Espanha”.» Ler no Público.

«A selecção de futebol de Portugal lamentou hoje a morte do escritor português José Saramago, considerado "um dos grandes rostos da cultura lusa" por jogadores, técnicos e restante staff presentes no Mundial 2010, na África do Sul.» Ler no Diário de Notícias e jornal i.

«Jorge Sampaio reagiu à morte de José Saramago sublinhando a “extraordinária projecção literária e prestígio trouxe à literatura e língua portuguesas” mas também recordando as “cordiais e afectuosas relações” que manteve com o escritor.» Ler no Público e no jornal i.

«O ministro dos Negócios Estrangeiros e Europeus de França considerou hoje que com a morte de José Saramago Portugal “perde um dos maiores escritores” e um “homem comprometido com a causa das liberdades”.» Ler no Público.

«O presidente da Assembleia da República, Jaime Gama, destacou hoje o “percurso literariamente exigente” de José Saramago, que se libertou de “alguns clichés iniciais” para atingir um nível de qualidade que lhe valeu “o reconhecimento universal com um Nobel”.» Ler no Público e no jornal i.

«O antigo Presidente da República Mário Soares declarou-se hoje “surpreendido e entristecido” com a morte do Nobel da Literatura, José Saramago, e defendeu que o escritor deveria ficar sepultado no Panteão Nacional e a declaração de luto nacional.» Ler no Público e no jornal i.

«O secretário geral da CGTP, Carvalho da Silva, lamentou hoje a morte do escritor José Saramago, que disse ter estado sempre ao lado dos trabalhadores, e deixou a certeza de que será tomado como exemplo.» Ler no Público e no jornal i.

«José Saramago “contribuiu de maneira decisiva para valorizar a língua portuguesa” e a nação portuguesa perdeu um “filho ilustre”, escreve o presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, numa nota de pesar enviada à comunicação social.» Ler no Público e no jornal i.

«O realizador Fernando Meirelles, do filme Ensaio Sobre a Cegueira (2008), sublinhou hoje a “lucidez” e a “lógica” de José Saramago.» Ler no jornal i.

«“Um notável escritor ibérico.” Assim se referiu a José Saramago o presidente da Câmara Hispano-Portuguesa em Madrid, o português Aureliano Neves em declarações à Lusa, enquanto a directora do Instituto Cervantes, Carmen Caffarel, lamenta “o desaparecimento do mais firme herdeiro de uma grande tradição: o iberismo português”.» Ler no Público.

«“Uma notícia horrível. Ainda não acredito.” Foi com esta citação e com a descrição de uma voz muito emocionada que a jornalista do jornal espanhol El País abriu o texto em que o escritor italiano Dario Fo lamenta a morte do seu amigo que ganhou, um ano depois dele, o Prémio Nobel da Literatura.» Ler no Público.

«José Saramago “consagrou a língua portuguesa”, considerou hoje em Lisboa Dilma Rousseff, a candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) às presidenciais de 03 de outubro próximo no Brasil.» Ler no jornal i.

«Entre as muitas coroas de flores junto à urna de José Saramago, uma destaca-se pelo tamanho e pelas cores: rosas vermelhas, gerberas brancas e coroas imperiais amarelas enviadas pelo comandante Fidel Castro e pelo irmão Raul, presidente de Cuba.» Ler no jornal i.

«José Saramago foi "um dos maiores escritores de sempre, e não apenas de Portugal", é a opinião do maestro António Victorino d'Almeida que se encontra nos Paços do Concelho de Lisboa a prestar humenagem ao "grande amigo".» Ler no jornal i.