Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Lançamento do livro Fernando Guedes: O decano dos editores portugueses

06.12.12

 

O auditório da Casa Fernando Pessoa encheu-se ontem à noite para assistir ao lançamento do primeiro volume da coleção «Protagonistas da Edição», da Booktailors, que se inaugurou com Fernando Guedes: O decano dos editores portugueses.

 

 

A Booktailors é uma consultora editorial, mas, apesar de não ser uma editora, tomou a iniciativa de publicar uma coleção que pretende, acima de tudo, preservar a memória da história da edição em Portugal. A coleção estreou-se com o registo do testemunho de Fernando Guedes, fundador da Editorial Verbo, sendo já conhecidos os proximos protagonistas: Carlos da Veiga Ferreira e Guilhermina Gomes. 

 

A coleção «Protagonistas da Edição», cuja publicação se inicia agora,  não tem um intuito comercial. Trata-se da prestação de um serviço público, da publicação de um conjunto de testemunhos que é importante preservar para o futuro. «Queremos, contudo, que seja uma coleção que marque o panorama editorial, chegue aos profissionais da área, mas também aos mais curiosos», declarou Paulo Ferreira.

 

 

O primeiro volume da coleção que surgiu de uma conversa casual sobre a importância de dar visibilidade aos outros atores – além dos autores – da área da edição foi apresentado por Francisco Espadinha, fundador da Editorial Presença.

 

Francisco Espadinha destacou a «vocação de homem de cultura» e o facto de Fernando Guedes sempre ter encarado as suas funções de editor com um «espírito de missão», apesar de se ter iniciado como escritor e só posteriormente ter assumido a profissão de editor.

 

 

«Este livro acrescenta muito sobre a situação do livro em Portugal como foi vivido quer pelos seus agentes, quer pelos seus leitores, incluindo neste cenário as mudanças entretanto operadas, além das novas tendências que se afirmam e de outras que se esboçam ao longo deste cenário de cinco décadas que chega até aos nossos dias», declarou Francisco Espadinha. Constitui «uma  retrospectiva da edição desde os anos sessenta até à actualidade, colhida de um testemunho que viveu tudo isto de uma forma profundamente interveniente.», como foi o caso de Fernando Guedes.

 

O fundador da Presença elogiou ainda o formato do livro, a «biografia dialógica», «uma experiência original de contar a história de uma vida no seu estimulante contexto, através do diálogo com o biografado». 

 

 

Fernando Guedes declarou-se surpreendido pelo convite, pelo facto de a coleção se iniciar com o seu testemunho, mas elogiou a ideia, sugerindo ainda a criação de uma segunda série dedicada a editores já falecidos. Lamentou apenas que a figura do editor tenha mudado tanto ao longo dos anos e que, hoje em dia, o editor seja mais o «administrador com A grande». «O editor, o homem dos sete ofícios já não existe», declarou. «Perdeu-se muito do encanto desta profissão, uma profissão de artistas.»