Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Ilustradora britânica Maisie Shearring vence prémio da Feira de Bolonha

08.04.15

 

A ilustradora britânica Maisie Shearing venceu o prémio da Feira do Livro Infantil de Bolonha. 

Além do valor monetário de 30 mil dólares, a ilustradora ganhou também um contrato para ilustrar um livro da editora espanhola Grupo SM, livro esse que será exibido na feira do próximo ano. Estiveram em concurso cerca de 3 mil ilustradores provenientes de 70 países.

Esta é a sexta edição do prémio que visa estimular a promoção de jovens ilustradores e que, no ano passado, premiou a portuguesa Catarina Sobral.

-

A Booktailors já está a divulgar a sua oferta formativa para o 1.º semestre de 2015: Curso de Revisão de Texto - nível inicial, Curso de Revisão de Texto - nível intermédio e Oficina de Leituras para Crescer.

Um livro ilustrado português entre os 100 melhores de sempre

07.04.15

 

«Segundo o especialista Martin Salisbury, há um título português entre os 100 "grandes livros ilustrados para crianças": Praia Mar, de Bernardo Carvalho, editado pela Planeta Tangerina.» Ler no Diário de Notícias

 

«Sem texto e ilustrado por Bernardo Carvalho, "Praia-Mar" é um livro de grande formato que retrata vários momentos e situações numa ida à praia no verão - nadar, estar ao sol, ler, contemplar o mar, caminhar, apanhar conchas e peixes.» Ler no Diário Digital.

Estarão as editoras anglo-saxónicas de livros infantis a estagnar?

19.03.15

 

Enquanto editoras de livros infantis asiáticas, italianas, francesas, portuguesas e da Europa de Leste se afirmam cada vez mais no mercado internacional, as editoras americanas e inglesas enfrentam um súbito abrandamento.

 

Em conversa com o sítio Publishing Perspectives, a agente literária Véronique Kirchhoff apontou o motivo desta mudança: «Os ingleses estão a perder a sua supremacia nas venda de direitos porque os outros livros são muito mais interessantes. É uma questão de criatividade.

 

As pessoas estão cansadas do mesmo género de livro vindo dos países anglo-saxónicos». Mais pormenores aqui.

Anunciados os vencedores da edição de 2015 dos prémios de literatura infantil Red House

25.02.15

 

 

Foram anunciados os vencedores dos prémios de literatura infantil Red House para 2015.

Os grandes vencedores foram o autor Drew Daywalt e o ilustrador Oliver Jeffers pelo livro O Dia em Que os Lápis Desistiram (publicado em Portugal pela Orfeu Negro). Entre a lista de vencedores encontram-se também o comediante David Walliams, com o livro Demon Dentist na categoria infantil, e Sophie Mckenzie, com Split Second na categoria adolescentes.

Os prémios Red House são organizados pela Federação de Clubes de Leitura Infantil, mas os nomeados e os vencedores são escolhidos inteiramente por crianças. Ler aqui.

Livros do Planeta Tangerina e da Orfeu Negro foram distinguidos na Feira do Livro de Bolonha

17.02.15

 

«Os livros Lá fora, das biólogas Maria Dias e Inês Rosário, e Hoje sinto-me…, de Madalena Moniz, foram distinguidos no âmbito da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, que decorrerá em março em Itália.

 

De acordo com a editora Planeta Tangerina, Lá fora – Um guia para descobrir a natureza foi eleito o melhor livro na categoria "Primeira obra" ("Opera Prima"). Hoje sinto-me…, escrito e ilustrado por Madalena Moniz, teve uma menção honrosa na mesma categoria, revelou a editora Orfeu Negro.» Ler no Diário Digital e na RTP.

Fundação Calouste Gulbenkian acolhe colóquio sobre literatura infantojuvenil

09.02.15

 

«O que é a criação artística para a infância e juventude? A pergunta é lançada na próxima semana a escritores, músicos e programadores, num colóquio organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.» Ler no Diário Digital.

 

«É assim tão diferente criar para crianças ou adultos? Faz sentido considerar trabalhos artísticos para a infância iniciativas menores? É a estas e a tantas outras questões que o colóquio É Então Isto para Crianças?, a decorrer segunda e terça-feira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, vai tentar responder. A ideia, diz a escritora e jornalista Inês Fonseca Santos responsável pela programação, é perceber “o que está implicado na criação para a infância e juventude, especialmente nos dias de hoje em que há uma oferta muito competente e desafiante quer em teatro, música, literatura e festivais de cinema”.» Ler no Sol.

 

«Colóquio hoje e manhã na Gulbenkian junta criadores e programadores da música, espetáculos, cinema e literatura para crianças.» Ler no Diário de Notícias.

Escritores falam sobre a literatura infantojuvenil

02.02.15

 

«A Fundação “O Século” acolhe, de 2 a 7 de Fevereiro, o 1.º Encontro Internacional da Literatura Infanto-Juvenil da Lusofonia. O objectivo é lançar uma rede que ligue autores e editores e facilite a comunicação com o público, através de uma plataforma online. Coordenado por José Fanha, o evento vai reunir mais de uma dezena de escritores, ilustradores e especialistas de todos os países do espaço lusófono. Ana Tomás antecipa este encontro lançando a um grupo de participantes algumas questões sobre este tipo de literatura: 1) Quais são as especificidades da escrita para o público infanto-juvenil? 2) Qual o livro infantil que mais os marcou em criança? e 3) Como é escrever para as crianças de agora, que crescem num mundo dominado pela tecnologia e pelos ecrãs?» Ler no iOnline.