Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Diáspora — Festival Literário de Belmonte em destaque na imprensa

10.11.14

 

A primeira edição do Diáspora — Festival Literário de Belmonte decorreu nos dias 7, 8 e 9 de novembro, em Belmonte.

 

O escritor Bruno Vieira Amaral esteve em destaque na imprensa a propósito do lançamento do seu novo livro em janeiro de 2015, sobre as igrejas evangélicas em Portugal. «A publicação da obra, intitulada Aleluia, foi anunciada hoje ao fim da tarde num debate da 1.ª edição do Diáspora — Festival Literário de Belmonte, em que o autor participava, juntamente com os escritores Afonso Cruz e Valério Romão, sobre a dicotomia campo-cidade e sobre se faz sentido falar-se em interioridade no caso de um país tão pequeno como Portugal». Leia no Diário Digital.

 

«O desafio era lançado pela frase de Fernando Pessoa: “Gostava de estar no campo para poder gostar de estar na cidade”. Para a conversa estavam convocados os escritores Afonso Cruz, Valério Romão e Bruno Vieira do Amaral. Do painel, apenas o autor de “A Boneca de Kokoschka”, Afonso Cruz vive no campo, em pleno Alentejo». Ler na Rádio Renascença.

 

O autor Francisco José Viegas também mereceu destaque na imprensa a propósito da sua participação no primeiro debate do Festival Literário de Belmonte, acerca do papel do livro nas religiões. «O livro sagrado — Bíblia, Tora ou Alcorão — é “o único lugar em que a religião é um fator de paz”, defendeu o escritor Francisco José Viegas, num debate sobre o papel do livro nas principais religiões.» Leia no Público, no Diário Digital e no Jornal de Oleiros.

 

«As ruelas de Belmonte, debruadas pelo musgo e pontilhadas pelo azevinho, foram as vias de fuga dos judeus, quando perseguidos pelos cristãos. As sombras húmidas dos becos albergam segredos de horrores passados. A vila, berço de Pedro Álvares Cabral, teve gente sua queimada nas fogueiras da inquisição. A terra do descobridor do Brasil recebeu e promoveu o seu primeiro Festival Literário (produção Booktailors) no passado fim de semana». Ler no Diário Digital.

 

«Em Belmonte, a vila portuguesa que viu nascer o navegador Pedro Alvares Cabral, que descobriu o Brasil, está patente desde este sábado uma exposição dedicada ao “Mar” e ao “Futuro”. No Ecomuseu do Zêzere, a mostra revela o trabalho do ilustrador André Letria e do autor Ricardo Henriques. Imagens que têm tradução em dois livros que são mais do que dicionários». Ler na Renascença.

 

«No Festival Literário que decorre em Belmonte até domingo escutaram-se este sábado críticas dos escritores à actual governação. Numa mesa de debate sobre viagens falou-se de política com os autores Miguel Real, Deana Barroqueiro e João Morgado». Ler na Rádio Renascença.

 

«No festival literário “Diáspora”, em Belmonte, foi Eça de Queirós quem deu o mote para a conversa que rodou em tornou do romance histórico e das biografias.

 

“É o coração que faz o carácter” a afirmação é do escritor Eça de Queirós e serviu de mote à conversa entre Isabel Stiwell, autora das biografias de Filipa de Lencastre, Rainha D. Amélia ou Catarina de Bragança, e Joaquim Vieira, que assinou por exemplo as fotobiografias de Salazar, Marcelo Caetano ou Almada Negreiros». Ler na Rádio Renascença.