Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Feira do Livro do Porto suspensa

25.02.14

 

«Afinal, o Porto não vai ter Feira do Livro este ano. Depois de o vereador da Cultura da Câmara do Porto, Paulo Cunha e Silva, ter afirmado que o evento estava garantido e que iria realizar-se na Rotunda da Boavista, as declarações do presidente da APEL – Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, João Alvim, pondo em dúvida a realização da feira caso o município não assumisse um compromisso financeiro plurianual, deitaram por terra as negociações. Em comunicado, a Câmara do Porto diz que, neste momento, "não vê satisfeitas as condições de confiança necessárias para a assinatura de qualquer protocolo com a APEL".» Ler no Público.

 

«A Câmara Municipal do Porto acusou hoje a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) de recuar nas negociações para a realização da Feira do Livro da cidade, declarando não haver condições para estas prosseguirem.» Ler no Diário Digital e na RTP.

 

«"As declarações do presidente da APEL hoje tornadas públicas sobre o assunto são, por isso, no mínimo, surpreendentes, impedindo a Câmara do Porto de prosseguir com o processo, porquanto representam uma grave quebra de confiança, senão entre as partes, pelo menos entre os representantes mandatados pela APEL para as negociações e o presidente da mesma associação", declara a autarquia, referindo-se a declarações de João Alvim, da APEL, ao Correio da Manhã, dizendo que o acordo não se tinha concretizado.» Ler na Renascença.

 

«Instado pelo Correio da Manhã, João Alvim, afirmou ser "certo que a autarquia disse estar com limitações financeiras, mas manifestou-se disponível para assinar um protocolo que, naturalmente, terá compromissos financeiros", ressalvando que sem que tal aconteça "é claro que a APEL não vai organizar a Feira do Livro no Porto".» Ler no Correio da Manhã e aqui.

 

«O acordo alcançado no dia 07 "definia o local, o calendário e as contrapartidas logísticas oferecidas pela Câmara Municipal do Porto, tendo ficado clara a inexistência de contrapartidas financeiras por parte do Município na edição deste ano", acrescentou a Câmara, que se fez representar nas negociações pelo vereador da Cultura, Paulo Cunha e Silva.» Ler na RTP.