Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Morreu Gabriel García Márquez

21.04.14

 

«O escritor colombiano e prémio Nobel da Literatura Gabriel García Márquez morreu nesta quinta-feira [17 de abril] na Cidade do México aos 87 anos, noticiou o jornal El País. Estava na sua casa, com a mulher Mercedes e os seus dois filhos.» Ler no Público.

 

«O autor de obras tão emblemáticas como Cem anos de solidão, O amor nos tempos de cólera, Crónica de uma morte anunciada e O general no seu labirinto, faleceu hoje [17 de abril], com 87 anos, vítima de pneumonia, indica a AP.» Ler no Diário Digital.

 

«O romancista colombiano Gabriel García Márquez, autor de Cem Anos de Solidão , morreu esta quinta-feira na Cidade do México, aos 87 anos. A causa da morte de "Gabo", como os amigos lhe chamavam, não foi divulgada, mas o escritor tinha estado internado há poucos dias, com infecções nos pulmões e no tracto urinário.» Ler no Público.
«Gabriel García Márquez, de 87 anos, distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1982, que morreu hoje na Cidade do México, não publicava desde 2010, quando foi dado à estampa Yo no vengo a decir un discurso (Eu não venho dizer um discurso).

 

O autor de Cem anos de solidão, que os amigos tratavam por "Gabo", tinha anunciado em 2009 que se retirava, e o livro publicado no ano seguinte, reuniu apenas material disperso das suas alocuções em público, as quais iniciava invariavelmente com a frase Eu não venho dizer [fazer] um discurso, informou na altura a editora Mondadori.» Ler no Sol.

 

«O escritor e jornalista colombiano, Gabriel Garcia Marquez, morreu esta quinta-feira. O Prémio Nobel da Literatura em 1982 tinha 87 anos e sofria de problemas respiratórios há vários anos. A informação foi avançada por vários órgãos de informação internacionais e confirmada pela família.» Ler, ver e ouvir na Renascença.

 

«Aclamado como escritor, sempre se considerou sobretudo jornalista. Foi correspondente do diário colombiano El Espetador em Genebra, Paris e Roma. Passou também pela Checoslováquia, Polónia, Rússia e Ucrânia. Num artigo publicado no diário espanhol El País, a 20 de outubro de 1996, referiu-se ao jornalismo como "o melhor emprego do mundo".» Ler no Expresso.

 

«O México presta segunda-feira [hoje] homenagem a Gabriel García Márquez no Palácio das Belas Artes, o principal recinto cultural do país, revelou quinta-feira o presidente do Conselho Nacional para a Cultura e Artes, Rafael Tovar.» Ler no Diário Digital, no Jornal de Notícias e no Sol.
«O corpo do escritor Gabriel García Marquez vai ser cremado numa cerimónia privada. Foi María Cristina García Cepeda, diretora do Instituto Nacional de Belas Artes, quem revelou a informação ao ler um comunicado em nome da família do escritor colombiano.» Ler no Correio da Manhã.

 

«O corpo do escritor Gabriel García Márquez, que morreu quinta-feira no México, será cremado "em privado" e na tarde de segunda-feira terá lugar uma homenagem no palácio das Belas Artes da capital mexicana.» Ler no Diário Digital e no Jornal de Notícias e no Sol.

 

«As cinzas do prémio Nobel Gabriel García Márquez serão divididas entre o México e a Colômbia, afirmou sexta-feira o embaixador colombiano na capital mexicana, José Gabriel Ortiz.

 

O diplomata falava à porta da casa de Gabriel García Márquez, na Cidade do México, onde o escritor faleceu quinta-feira aos 87 anos.

 

"No México ficará uma parte e penso que podem levar outra parte para a Colômbia, onde ficarão em repouso parte das cinzas", disse o embaixador.» Ler no Diário Digital, no Diário de Notícias, no iOnline, no Jornal de Notícias e na RTP.

 

«Desde quinta-feira que não param de chegar à casa do escritor, no México, muitas flores, sobretudo flores amarelas, as preferidas de García Márquez» Ler e ver na RTP.