Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Correntes d'Escritas 2013: Sexta e sétima mesas

25.02.13

 

Na sexta mesa do Correntes d’Escritas, em que participaram Andréa del Fuego, Cristina Carvalho, Jaime Rocha, João Tordo, Joel Neto e Possidónio Cachapa, com moderação a cargo de Onésimo Teotónio Almeida, o debate girou em torno do verso de Luís Filipe Castro Mendes, «Os meus textos não têm serventia». Andréa del Fuego foi a primeira a abordar o tema, tendo afirmado que «a literatura é [a] arte mais eficaz para aceitarmos o fim do corpo e sermos tijolo de uma construção que não veremos finalizada». Por sua vez, Joel Neto e João Tordo expuseram a importância dos textos e da leitura na sua vida, com o último a afirmar que «os textos não têm serventia» e «podem ser também uma reconciliação». Leia mais aqui.

 

«[D]o que podia ter sido restam ruínas», da autoria de Manuel António Pina, foi o tema que encerrou as mesas de debate da 14.ª edição do Correntes d’Escritas. Num auditório a abarrotar, Ana Luísa Amaral, António Victorino d' Almeida, Susana Fortes, Onésimo Teotónio de Almeida, Vasco Graça Moura e Domingo Villar, moderados por Maria Flor Pedroso, interpretaram o mote e apresentaram a sua visão das ruínas, que oscilaram entre a evocação de várias obras literárias e a realidade atual do país. Leia mais aqui

Correntes d'Escritas 2013: Quinta mesa

25.02.13

 

Um auditório inteiro de pé, cantando «Grândola», encerrou a quinta mesa de debate do Correntes d’Escritas na noite de sexta-feira, subordinada ao tema «Desse país arranquei todos os cravos» e em que participaram Rui Zink, Maria do Rosário Pedreira, Nuno Camarneiro, Luís Carlos Patraquim e Ignacio Martinez de Pisón, com moderação de Carlos Quiroga. Apesar de ser o último interveniente, foi Rui Zink quem mais fez o público rir e o conseguiu erguer, «grandolando». Leia mais aqui e no Bibliotecário de Babel.


«As mesas das Correntes d´Escritas são sempre marcantes. Este ano não foi diferente. O evento, que terminou oficialmente no último sábado, mas que continua esta segunda-feira em Lisboa, no Instituto Cervantes, também não ficou indiferente a música do momento, "Grândola, Vila Morena".» Ler no Diário Digital.

Correntes d'Escritas 2013: Quarta mesa

25.02.13

 

«A quarta mesa das Correntes d’Escritas junta Carmen Dolores, Hélder Macedo, Manuel Jorge Marmelo, Manuel Rui, Richard Zimler e Rubens Figueiredo, moderados por Michael Kegler. O mote é o verso de Armando Silva Carvalho, “e eu já nada sei soprar sobre as palavras”.» Ler no Cadeirão Voltaire.

 

A quarta mesa, que decorreu na tarde de sexta-feira, contou com a participação de Manuel Rui, Manuel Jorge Marmelo, Helder Macedo, Carmen Dolores, Richard Zimler, Rubens Figueiredo e Michael Kegler enquanto moderador. A frase que deu o mote para esta mesa, da autoria de Armando Silva Carvalho, foi «e eu já nada sei soprar sobre as palavras». Apesar das diferenças geracionais, de nacionalidade e culturas, cada um dos participantes abordou a sua relação com as palavras, o elemento partilhado entre todos. Helder Macedo questionaria, na sua intervenção, inclusivamente, o que seria de si, sem as palavras, enquanto que Carmen Dolores aproveitaria para ler um poema de Eugénio de Andrade. 

Correntes d'Escritas 2013: Terceira mesa

25.02.13

 

«[S]ó o que não se sabe é poesia», verso da autoria de Ferreira Gullar, foi o ponto de partida para a terceira mesa da 14.ª edição do Correntes d’Escritas. Aurelino Costa, Ivo Machado, José Mário Silva, Lauren Mendinueta, João Luís Barreto Guimarães e Vergílio Alberto Vieira foram os participantes numa mesa moderada por Francisco José Viegas.

 

Dar voz ao mundo, à realidade, ou ser instrumento de denúncia foram algumas das funções atribuídas à poesia pelos protagonistas convidados. Contudo, foi o discurso de Vergílio Alberto Vieira, poeta que justificou a sua presença, porque havia entendido que seria «uma cobardia» retirar-se «numa altura em que todas as vozes são poucas para se fazerem ouvir neste país», aquela que mais aplausos arrancou do público presente. Leia mais aqui.

Correntes d'Escritas 2013: Prémios LER/Booktailors distinguem Tinta-da-China, Manuel António Pina e Vítor Silva Tavares

25.02.13

«A editora Tinta-da-China, a poesia completa de Manuel António Pina e o editor Vítor Silva Tavares, da &etc., são alguns dos vencedores dos Prémios de Edição LER/Booktailors, atribuídos este ano pela quinta vez, em 20 categorias.» Ler no iOnline, no Diário de Notícias e no Correio da Manhã.

Correntes d'Escritas 2013: Programa de hoje

23.02.13

 

10.30

6.ª MESA: «Os meus textos não têm serventia»

Andréa del Fuego, Cristina Carvalho, Jaime Rocha, João Tordo, Joel Neto, Possidónio Cachapa

Onésimo Teotónio Almeida — moderador

AUDITÓRIO MUNICIPAL

 

12.30

Lançamento de livros

A Marca do Herege, Susana Fortes, Porto Editora

A Paixão de K, Miguel Miranda, Porto Editora

A Praia dos Afogados, Domingo Villar, Sextante

CASA DA JUVENTUDE

 

15.30

7.ª MESA: «do que podia ter sido restam ruínas»

Ana Luísa Amaral, António Victorino D'Almeida, Domingo Villar, Onésimo Teotónio Almeida, Susana Fortes, Vasco Graça Moura

Maria Flor Pedroso - moderadora

AUDITÓRIO MUNICIPAL

 

17.30

Voz aos Versos pelos formandos da Oficina de Expressão Poética

CASA DA JUVENTUDE

 

18.00

Encerramento

Recordar Lêdo Ivo, Manuel António Pina

Histórias contadas pelo Varazim Teatro

Entrega dos Prémios Literários Casino da Póvoa; Correntes d'Escritas Papelaria Locus; Conto Infantil Ilustrado Correntes d'Escritas Porto Editora; Correntes d'Escritas Fundação Dr. Luís Rainha

AUDITÓRIO MUNICIPAL

 

19.00

Anúncio dos vencedores dos Prémios de Edição LER/BOOKTAILORS

AUDITÓRIO MUNICIPAL

 

23.30

Exibição de Adeus à brisa — documentário de Possidónio Cachapa sobre Urbano Tavares Rodrigues

HOTEL AXIS VERMAR

-

Nova campanha de descontos. Novidades 2013: [Lisboa] Distribuição do Livro - nível inicialEscrita para Principiantes, Produção GráficaComunicação Editorial, Livro Infantil, Escrevi um livro. E agora? [Porto] Novo Acordo OrtográficoRevisão de Texto - nível intermédio.