Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

Feira do Livro de Lisboa deste ano bateu recorde com 531 mil visitantes

06.08.14

 

«O número de visitantes da Feira do Livro de Lisboa aumentou em 21% em 2014, disse esta quarta-feira a Associação Portuguesa de Escritores e Livreiros (APEL), organizadora da feira, em comunicado. No total, passaram pela 84.ª edição da feira 531.605 pessoas, o que ultrapassa o recorde de meio milhão de visitantes atingido no ano passado.» Ler no Público

Feira do Livro de Lisboa angariou mais de 5500 livros

27.06.14

 

No âmbito da iniciativa Dar e Receber, promovida pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) e pelo Banco de Bens Doados, foram recolhidos durante a 84.ª Feira do Livro de Lisboa mais de 5500 livros, informou esta tarde a APEL.

 

Os livros, recolhidos ao longo dos 18 dias da feira, serão doados a crianças e jovens até aos 12 anos, através de várias instituições de solidariedade social da área da Grande Lisboa. No comunicado, a APEL refere ainda que se faz «um balanço bastante positivo deste projeto» e que existe a «possibilidade de o repetir ao longo das próximas edições».

 

Manifesto que celebra oito séculos da língua portuguesa apresentado no dia 13

17.06.14

«O Manifesto 2014, cuja apresentação ao público aconteceu na passada sexta-feira, dia 13, na Feira do Livro, pretende homenagear os 800 anos da Língua Portuguesa. A data usa como referência o Testamento de D. Afonso II, o mais antigo documento régio escrito em língua portuguesa e o mais antigo documento oficial ao nível superior de um Estado. O deputado José Ribeiro e Castro e o editor João Pinto de Sousa fazem parte do movimento.» Ler e ver no Observador.

84.ª Feira do Livro de Lisboa terá ultrapassado os 500 mil visitantes

17.06.14

 

«A Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), organizadora da Feira do Livro de Lisboa, que terminou no domingo, admite ter sido ultrapassado o meio milhão de visitantes, recorde registado no ano passado.

 

Em declarações à Lusa, Bruno Pacheco, secretário-geral da APEL, afirmou que apesar dos "últimos quatro dias, devido ao calor, terem ficado aquém das expectativas e do que é normal, ter-se-á ultrapassado os 500 mil visitantes".

 

A 84.ª Feira do Livro de Lisboa realizou-se de 29 de Maio a 15 de Junho no Parque Eduardo VII, tendo estado presentes 537 editoras e chancelas.» Ler no Público.

 

«Apesar da crise e da quebra que se tem sentido no mercado livreiro, a Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) reconhece que os editores fazem um balanço positivo.» Ler na Renascença.

 

«Bruno Pacheco afirmou, sem citar números, que "as vendas, regra geral estiveram acima da média, em alguns casos com aumentos na ordem dos dois dígitos, o que foi reduzindo nos últimos três dias".» Ler no Diário Digital.

 

«Com vários números por apurar ainda, Bruno Pacheco fez um "balanço muito positivo" da 84.ª edição da feira e referiu que a aposta feita na área da restauração "valeu a pena, na medida em que muitas pessoas dividiam a hora de almoço entre a feira e a refeição, e assim puderam mais descansadamente usufruir da feira e almoçar".» Ler no Diário de Notícias e no Correio da Manhã.

 

«As previstas mil atividades terão sido alcançadas, segundo Bruno Pacheco que afirmou que "até três dias antes estavam contabilizadas 930 iniciativas em torno do livro e da leitura".» Ler no iOnline.

Encerrou ontem a 84.ª Feira do Livro de Lisboa

16.06.14

 

«A 84.ª Feira do Livro de Lisboa encerra hoje [ontem], após 18 dias de vendas de livros com reduções de preço, sessões de autógrafos e outras iniciativas em torno do livro e da leitura, como o "picnic literário".

 

Nesta Feira estrearam-se novos pavilhões, no total 250, que, segundo os organizadores, são mais cómodos e duráveis, tendo participado 537 editoras e chancelas.» Ler na RTP e no Diário Digital.

 

«A Feira partiu com objetivos ambiciosos, nomeadamente ultrapassar os 500.000 visitantes, que se registaram na edição do ano passado, e ultrapassar também o número de iniciativas.» Ler no iOnline e no Sol.

 

«Bruno Pacheco, secretário-geral da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros, diz ao CM que até à última terça-feira, 10 de junho, a Feira estava a receber mais gente do que em 2013, mas a partir daí, a afluência foi "prejudicada pelo excesso de calor".» Ler no Correio da Manhã.

Livraria Cabeçudos é a Livraria Preferida dos portugueses em 2014

12.06.14

 

«A Livraria Cabeçudos, em Lisboa, foi escolhida como "Livraria Preferida", numa eleição promovida pela Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL), que divulgou hoje [ontem], na Feira do Livro de Lisboa, os resultados da votação, feita através da Internet.

 

Este foi o segundo ano que a APEL decidiu promover a escolha da livraria preferida dos consumidores, alargando-a ao território nacional. No ano passado, em que venceu a Livraria Bertrand do Chiado, em Lisboa, o concurso foi restrito à área geográfica da capital portuguesa.

 

A livraria Cabeçudos foi fundada em 2010, em Lisboa, virada em exclusivo para a literatura portuguesa e estrangeira para a infância e juventude. Fundada por Rui Andrade, a livraria tem como lema "O lugar onde os miúdos de hoje trarão os miúdos de amanhã" centrando-se na importância da leitura para a formação dos cidadãos desde a primeira idade.» Ler no Diário Digital.

 

«O top das cinco livrarias preferidas é completado com a LeYa na Buchholz, também em Lisboa, que ficou em 2.º lugar, a Aqui há Gato, em Santarém, em 3.º, a Bertrand do Chiado, no 4.º, e a Pó dos Livros, na avenida Marquês de Tomar, em Lisboa, que ficou em 5.º lugar.

 

Nas outras categorias a concurso, a Livraria Lello, no Porto, ganhou o Prémio para o Melhor Ambiente, a Livraria A das Artes, em Sines, o de Melhor Atendimento, a FNAC do Chiado, o Prémio para o Melhor Catálogo, e a Leya na Barata, na avenida de Roma, em Lisboa, o Prémio Conveniência.» Ler na RTP.

O primeiro dia da Feira do Livro de Lisboa

30.05.14

 

«A partir de hoje [ontem], e até ao dia 15 de Junho, a Feira do Livro regressa a Lisboa para encher o Parque Eduardo VII de literatura. Com mais de 500 editoras e chancelas, distribuídas por 250 pavilhões, vários deles para alfarrabistas, é possível encontrar aqui fundos de catálogo, com milhares de títulos que dificilmente se encontram em livrarias.» Ler no Sol.

 

«Entre as entidades presentes na inauguração da Feira do Livro estava o secretário de Estado da Cultura, Jorge Barreto Xavier, que no seu discurso valorizou a importância da leitura e o apoio da Câmara Municipal de Lisboa ao evento.» Ler no Diário de Notícias.

 

«O presidente da Associação Portuguesa de Editores e Livreiros (APEL) alertou hoje, na abertura da 84.ª Feira do Livro de Lisboa, para a necessidade de defesa de conteúdos e direitos de autor, nas novas tecnologias de informação.» Ler no Diário Digital.

 

Ver na RTP.

Jornal Público convida um editor por dia a escrever sobre um livro

30.05.14

 

Desde ontem, 29 de maio, que o jornal Público convida um editor a escrever sobre um livro, na rubrica «Um editor por dia, um livro por dia». O início da rubrica coincide com o primeiro dia da 84.ª Feira do Livro de Lisboa.

 

Pode ler as duas sugestões já publicadas, de Marta Ramires (Casa das Letras, LeYa) e Francisco Vale (Relógio D'Água), aqui e aqui.

24 grandes obras esquecidas encontradas na Feira do Livro

30.05.14
«Entre tudo o que se editou em Portugal nos últimos anos, são muitos os títulos que se perderam na memória, em fundos de catálogo, nos becos sem saída da distribuição. Mais do que as novidades, as grandes obras esquecidas são os achados de cada Feira do Livro. Estas 24 correspondem a uma escolha tão subjectiva quanto possível - acrescente, se puder». Ler no Público.