Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Blogtailors - o blogue da edição

For Studio Architects nomeado para Prémio FAD2014 com pavilhão português da FILBo 2013

20.05.14

 

O For Studio Architects, um coletivo de arquitetos de Lisboa, está nomeado para o Prémio Internacional de Arquitetura FAD2014 com o pavilhão da presença portuguesa na Feira do Livro de Bogotá (FILBo) em 2013. O prémio FAD é concedido anualmente pela associação catalã Arquinfad, e é considerado o mais importante prémio ibérico de arquitetura. Pode ver a nomeação do pavilhão português aqui.

 

A Booktailors – Consultores Editoriais, que foi responsável por toda a produção executiva da presença portuguesa na feira, congratula-se com mais uma distinção do parceiro em arquitetura. Em janeiro, o coletivo viu já a revista italiana Casabella incluir o projeto na lista das 40 melhores obras de todo o mundo projetadas por arquitetos com menos de 30 anos (ver aqui).

 

O coletivo For Studio Architects é composto por Fábio Neves, Ivone Gonçalves, Luís Ricardo e Ricardo Paulino.

Exposição Como as Cerejas no CCB a partir de amanhã

21.03.14

 

Como as Cerejas é o título da exposição que, em 2012, levou à Feira Internacional do Livro de Bolonha o trabalho de ilustradores portugueses. A partir de amanhã, dia 22, e até ao dia 20 de abril, a exposição está patente no Centro Cultural de Belém, no Foyer Sala Sophia de Mello Breyner. A exposição tem entrada livre.

 

Em 2012, ano em que Portugal foi país convidado na Feira do Livro Infantil de Bolonha, Como as Cerejas foi o mote para descrever a ilustração portuguesa, que durante as duas últimas décadas tem vindo a conseguir «um crescente reconhecimento e reputação internacionais»: «As ilustrações portuguesas são como as cerejas. Apetece-nos ver sempre mais!».

 

A mostra foi levada à Feira Internacional do Livro de Bogotá em 2013, tendo estado patente no pavilhão português. A presença portuguesa em Bogotá foi organizada pela Booktailors  Consultores Editoriais.

 

A exposição, comissariada por Ju Godinho e Eduardo Filipe, levou a Bolonha autores como Afonso Cruz, Alex Gozblau, André Letria, entre outros.

 

Mais informações aqui.

 

«Depois da gula das palavras, a das ilustrações - que se querem "Como as Cerejas!". Umas atrás das outras, até que o estômago grite basta. Portuguesas, contemporâneas e aqui reveladas num portefólio colectivo de 25 artistas plásticos que mostram a partir de hoje no Centro Cultural de Belém, no âmbito das comemorações do Dia Mundial da Poesia, como texto e imagem se entrelaçam sem indigestões à vista.» Ler no iOnline.

Livro MAR distinguido com menção honrosa pela Feira do Livro de Bolonha

13.02.14

 

A obra MAR, com ilustração de André Letria e texto de Ricardo Henriques, foi distinguida com uma menção do BolognaRagazzi Award na categoria Não-ficção. O prémio, instituído pela Feira do Livro Infantil de Bolonha, é «um dos mais prestigiados galardões do setor», afirma a organização.

 

MAR foi publicado em 2012 pela Pato Lógico, a editora criada por André Letria.Tem prevista para o final de 2014 uma edição digital, estando já editado em Itália e no Brasil.

 

A obra serviu de inspiração para a decoração do stand infantojuvenil da Feira do Livro de Bogotá em 2013, na qual Portugal foi o país convidado. A presença portuguesa em Bogotá foi organizada pela Booktailors — Consultores Editoriais.

 

«"O design e a ilustração deste livro são o eco perfeito do tema marítimo", disse o júri internacional sobre o livro com texto de Ricardo Henriques e ilustrações de André Letria». Ler no Público.

 

«O livro Mar, escrito por Ricardo Henriques e ilustrado por André Letria, recebeu uma menção especial nos prémios da Feira do Livro Infantil e Juvenil de Bolonha, em Itália, que decorrerá em março, revelou hoje o ilustrador e editor.» Ler no Diário de Notícias, no Diário Digital e no Jornal de Oleiros. Ler também no Cadeirão Voltaire. e n' O Jardim Assombrado.

Com o pavilhão português na Feira do Livro de Bogotá 2013, os Forstudio Architects estão entre os 40 melhores do mundo

13.01.14

 

Com a construção do pavilhão português na Feira Internacional do Livro de Bogotá (FILBo), em 2013, a revista italiana Casabella integrou a obra do coletivo lisboeta de arquitetos Forstudio na lista das 40 melhores obras de todo o mundo projetadas por arquitetos com menos de 30 anos.

 

Portugal foi o país convidado da FILBo 2013. A Booktailors, que assegurou toda a produção executiva da presença portuguesa no evento, congratula-se com a distinção do parceiro em arquitetura, que construiu o pavilhão da presença portuguesa na feira. Refira-se que o pavilhão mais visitado de sempre da feira foi o espaço português.

 

Ler no P3.

Governo colombiano adquire mais de 17 mil livros de autores portugueses

14.10.13

 

O governo colombiano adquiriu 17 300 livros de autores nacionais para a rede de bibliotecas do país. Os sete títulos selecionados foram publicados na Colômbia este ano, na sequência da Feira Internacional do Livro de Bogotá de 2013, da qual Portugal foi país convidado de honra. Dos sete títulos escolhidos, quatro são infantojuvenis, dois da autoria de Fernando Pessoa, e outro é uma antologia de escritores portugueses suicidas.

 

Búho comí, de Carlos Nogueira e Marta Madureira, La cocodrila mandona, de Adélia Carvalho e Marta Madureira, El cuaderno rojo de la chica karateca, de Ana Pessoa e Bernardo Carvalho, e No quiero usar anteojos, de Carla Maia de Almeida e André Letria foram, os livros infantojuvenis escolhidos.

 

El banquero anarquista, de Fernando Pessoa, Plural como el universo, de Fernando Pessoa (edição bilingue de Jerónimo Pizarro) e Los mató la vida: Antología de escritores suicidas portugueses, de Pablo Javier Pérez López, completam a lista de títulos comprados.

Sessão de conclusões FILBo 2013: «a presença de Portugal perpetua-se na capital colombiana»

22.05.13

 

As entidades culturais que durante meses uniram esforços para levar a presença portuguesa à Feira Internacional do Livro de Bogotá 2013 (FILBo), reuniram ontem, dia 21, na Torre do Tombo, para realizar um balanço desta aposta conjunta. Nas palavras da secretária-geral da Casa da América Latina, esta é a questão que agora se coloca: «o que fazer com os laços criados?»

 

Manuela Júdice descreve a Colômbia como «um país onde o livro e a leitura têm um papel fundamental na sociedade», só assim podendo justificar-se o facto de, por exemplo, na Noite dos Livros (dia em que a feira promoveu entradas gratuitas entre as 18.00 e as 22.00), terem acorrido ao pavilhão de Portugal cerca de 60 mil pessoas. «Isso nunca se tinha visto», declara o embaixador da Colômbia em Portugal, German Santamaría.

 

O pavilhão de Portugal contou com cerca de 450 mil visitantes, garantindo o embaixador que «a presença de Portugal perpetua-se na capital colombiana». Vasco Graça Moura, escritor representante do grupo de autores portugueses, diz esperar que «este momento seja o sinal para a continuidade das nossas relações culturais».

 

Uma das conclusões que resulta da sessão aponta precisamente para a importância da cultura na dinamização de relações internacionais como «sustentáculo de outras relações, nomeadamente económicas», concretiza a presidente do Instituto Camões, Ana Paula Laborinho. «Uma relação que se revela através da cultura», nota Jorge Barreto Xavier, «apesar de a História não nos ligar de imediato». O secretário de Estado da Cultura sublinha que Portugal conseguiu uma melhor representação na FILBo do que o Brasil, país convidado no ano anterior, e com menos de metade do orçamento brasileiro.

 

O comissário da presença portuguesa na FILBo, Jerónimo Pizarro, defende que a expansão da embaixada portuguesa em Bogotá é essencial para a continuidade da relação iniciada entre os dois países. O investigador pessoano foi ainda condecorado com a Medalha de Mérito Cultural por Jorge Barreto Xavier. No discurso de agradecimento, Pizarro sublinhou o papel da Booktailors na produção executiva da presença portuguesa, garantindo que a empresa «promete ser a responsável por muitas mais iniciativas entre Portugal e Colômbia».

 

Em 26 edições da FILBo, a presença portuguesa em 2013 é reconhecida como a mais representativa produção internacional alguma vez feita para a feira. Durante o evento, as editoras portuguesas venderam direitos a editoras colombianas em número maior do que o esperado. Cerca de 10 500 livros de autores portugueses foram vendidos, quer em português quer em espanhol, sendo José Saramago o autor mais procurado, seguido de Fernando Pessoa, Afonso Cruz e do catálogo da exposição de ilustração Como as Cerejas. Este foi também o evento para que Portugal mais obras traduziu no contexto de um acontecimento internacional. 

Apresentação pública dos resultados da presença portuguesa na FILBo amanhã, na Torre do Tombo

20.05.13

 

 

Amanhã, às 15h30, por iniciativa do secretário de Estado da Cultura e da Casa da América Latina, vai ter lugar, na Torre do Tombo, uma sessão de conclusões sobre a presença portuguesa na Feira Internacional do Livro de Bogotá (FILBo). Nesta sessão, Jerónimo Pizarro, comissário de Portugal na FILBo e proeminente investigador pessoano, será condecorado com a Medalha de Mérito Cultural. 

 

Com produção executiva da Booktailors, a representação portuguesa levou à Colômbia 23 autores nacionais, muitos dos quais com obras traduzidas, apresentadas no âmbito da FILBo. O evento possibilitou a venda de mais de 10 500 livros portugueses.

FILBo 2013: Mais de 10 mil livros de autores portugueses vendidos

03.05.13

 

«José Saramago foi o autor mais vendido na livraria do Pavilhão de Portugal, país convidado da Feira Internacional do Livro de Bogotá, que terminou quarta-feira, seguido de Fernando Pessoa e Afonso Cruz.» Ler no Público.

 

«O Pavilhão de Portugal na Feira do Livro de Bogotá, que decorreu entre 17 de abril e 1 de maio, vendeu mais de 10 500 dos 20 mil livros de autores portugueses que foram levados para a capital da Colômbia.» Ler no Correio da Manhã.